No LNBio, pesquisa sobre vacina contra o câncer tem resultados surpreendentes Mais»

 

Anistia pede investigação “imediata e rigorosa” de assassinato de vereadora

 

Fonte: Agência Brasil
Repórter: Vinícius Lisboa
Edição Opine: Guilherme Melo

 

 Ascom/Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro

Vereadora Marielle Franco foi assassinada ontem no Rio de Janeiro.  Arquivo/Ascom/Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro

A organização não governamental Anistia Internacional pediu hoje (15) uma investigação imediata e rigorosa do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro e defensora dos direitos humanos Marielle Franco, do PSOL.

A vereadora foi assassinada a tiros na noite de ontem (14), no centro do Rio de Janeiro. O motorista que conduzia o carro em que ela estava também foi morto pelos disparos.

“Marielle Franco é reconhecida por sua histórica luta por direitos humanos, especialmente em defesa dos direitos das mulheres negras e moradores de favelas e periferias e na denúncia da violência policial”, afirma a nota da Anistia Internacional. “Não podem restar dúvidas a respeito do contexto, motivação e autoria do assassinato de Marielle Franco”, continua a nota.

A organização feminista Articulação de Mulheres Brasileiras também se manifestou pedindo “imediata apuração dos fatos, verdade e justiça”.”Este crime brutal não calará a causa e o legado de Marielle. Transformaremos dor em luta, e seguiremos ecoando a denúncia da violência contra a população negra e pobre do país”.

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, lamentou o assassinato da vereadora em nota publicada em seu perfil no Twitter e disse estar acompanhando a investigação com as forças federais.

“Lamento profundamente esse ato de extrema covardia contra a vereadora Marielle Franco, uma mulher admirável, guerreira e atuante, de liderança inequívoca, que tanto lutou contra as desigualdades e violência da qual acabou sendo vítima”, disse. “Solidarizo-me com familiares e amigos, e acompanho, com as forças federais e integradas de Segurança, a apuração dos fatos para a punição dos autores desse crime hediondo que tanto nos entristece”.

O assassinato também causou indignação entre intelectuais e artistas. A cantora Elza Soares usou o Twitter para lamentar a morte de Marielle e se disse chocada e horrorizada: “Das poucas vezes que me falta a voz. Chocada. Horrorizada. Toda morte me mata um pouco. Dessa forma me mata mais. Mulher, negra, lésbica, ativista, defensora dos direitos humanos. Marielle Franco, sua voz ecoará em nós. Gritemos”.

A sambista Teresa Critina desejou conforto aos familiares da vereadora. “Que os familiares de Marielle Franco encontrem algum conforto diante de tamanha brutalidade”.

 


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *