No LNBio, pesquisa sobre vacina contra o câncer tem resultados surpreendentes Mais»

 

Ipea apoia pesquisa de desenvolvimento do Plano Nacional de Logística

Fonte: Ipea

 

Com base em projeções de demanda de transportes realizadas pelo instituto, PNL prevê série de obras para melhorar a infraestrutura viária no Brasil

Redução de R$ 54,7 bilhões, por ano, dos gastos com transportes de produtos no país – o que representa quase 1% do PIB brasileiro – e redução de 19,1 milhões de toneladas nas emissões de gás carbônico. Esses são alguns dos benefícios previstos no Plano Nacional de Logística (PNL), divulgado na quarta-feira, 21, e desenvolvido por meio de parceria entre o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) e o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

Segundo Fabiano Pompermayer, diretor de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação e Infraestrutura (Diset) do Ipea, o plano é uma lista de obras a serem implementadas na infraestrutura de transportes do país até 2025 para resolver os gargalos e reduzir o custo de transporte no futuro, com base na demanda projetada. “O Ipea fez toda a projeção de demanda de transportes intermicrorregiões, considerando 15 produtos. São projeções até 2035”, afirmou Pompermayer.

“O Ipea identificou o padrão de viagens de cargas e passageiros entre as diversas microrregiões do país e, com base nas projeções de crescimento econômico, produção agrícola, produção industrial, previu qual será a movimentação de cargas no futuro”, explicou o diretor da Diset. Com base nessa demanda projetada, a EPL avaliou a oferta atual de rodovias, ferrovias e portos e simulou melhorias no sistema viário num sistema de computador.

As projeções consideram as demandas de transportes de produtos como soja em grão, farelo de soja, milho em grão, minério de ferro, carvão mineral, cimento, fertilizantes, entre outros minerais, além de combustíveis, petroquímicos, alimentos, bebidas (processadas), celulose, papel, outros da lavoura e pecuária, produtos básicos de borracha, plástico e não metálicos, produtos da exploração florestal e da silvicultura, além de manufaturados.

Objetivo
O PNL é um plano que contempla a movimentação das cargas que circulam por todo o país, considerando os modos rodoviário, ferroviário, dutoviário, hidroviário e cabotagem, permitindo analisar as projeções de demanda e sua distribuição na rede de infraestrutura disponível e futura. O plano visa incentivar a redução dos custos, melhorar o nível de serviço para os usuários, buscar o equilíbrio da matriz, aumentar a eficiência dos modos utilizados para a movimentação das cargas e diminuir a emissão de poluentes. O PNL servirá, ainda, como base para o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil prever o orçamento do setor para os próximos anos.

Consulta Pública
A Consulta Pública ao Relatório do Plano Nacional de Logística (nº 1/2018) recebe comentários e sugestões de especialistas, das empresas e da sociedade em geral desde quarta-feira, 21 de março, e o prazo segue até 20 de abril. Para participar, clique aqui. Documentos e bases de dados estão disponíveis no site da EPL: www.epl.gov.br.

 


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *