No LNBio, pesquisa sobre vacina contra o câncer tem resultados surpreendentes Mais»

 

Carta de Conjuntura – Inflação por Faixa de Renda – Março/18

Fonte: Ipea
Por Maria Andréia Parente Lameiras
Edição Opine: Guilherme Melo

 

O Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda, calculado com base nas variações de preços de bens e serviços pesquisados pelo Sistema Nacional de Índice de Preços ao Consumidor (SNIPC) do IBGE, apresentou, em março, pelo quinto mês consecutivo, uma taxa de inflação menor para as famílias das faixas mais baixas de renda. De fato, segundo os dados da tabela 1, em março, a taxa de variação de preços de bens e serviços observada na classe de maior poder aquisitivo (0,11%) foi quase o triplo da registrada pelas famílias de renda mais baixa (0,04%). Com esse resultado, no acumulado do primeiro trimestre de 2018, a inflação da camada mais pobre da população aponta alta de apenas 0,35%, situando-se bem abaixo da calculada para as famílias de renda mais alta (1,13%). De modo similar, nos últimos 12 meses, a inflação da classe mais baixa (1,8%) é praticamente metade da apresentada pela classe mais alta (3,5%).

Na comparação com março de 2017, nota-se que, ao contrário do ano anterior, quando a inflação foi menor quanto maior fosse a faixa de renda, em 2018 a trajetória é oposta. Essa mudança de composição é explicada pelo comportamento dos alimentos no domicílio, cuja retração de 0,18% em março 2018 agiu como fonte de alívio inflacionário, ao passo que a alta de 0,31% no ano passado desse mesmo grupo de produtos pressionou mais fortemente a inflação dos mais pobres. Adicionalmente, o reajuste de 4,43% da energia elétrica observado em março de 2017 também impactou de modo mais significativo a inflação das famílias de renda mais baixa.

Leia a análise completa dos resultados

Acesse aqui a planilha com as taxas mensais de Inflação por faixa de renda

 


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *