Um bonde chamado Bolsonaro

Demorei muito a me decidir por Bolsonaro nas últimas eleições . Tinha como candidato natural, Amoedo do partido novo, que via como um legítimo candidato da direita liberal.

Bolsonaro
Imagem Pinterest

Apenas dois meses antes das eleições, decidi migrar meu voto, pois era claro, que Amoedo não teria condições de se eleger e eu que jamais votei no PT, não daria meu voto a Haddad.

Como acompanhava a Câmara dos Deputados, já conhecia Bolsonaro. Não gostava de suas atitudes. Um deputado bruto, corporativista, aquele tipo crianção, que não leva desaforo pra casa e capaz de infantilidades sem limites.

Outra coisa que me chamava atenção, era sua postura nas votações, muitas vezes contrárias às minhas convicções. Veio daí minha resistência de votar nele.

A eleição terminou. E agora?

Pouco tempo depois, meu voto útil, passou a ser convicto. Com sua aproximação do liberal Paulo Guedes, passei a torcer muito pela sua vitória, acreditando que ele seria o único com chances de mudar o país. Passei a acreditar nas suas promessas de campanha e não me arrependi. Está honrando meu voto.

Passou a empunhar a bandeira conservadora e liberal que eu tanto queria.

O que eu não contava, era que o menino arengueiro voltasse com gosto de gás, e não me refiro a demissão de Bebianno, que acho ter sido justa, mas da forma errada em que se deu e lavando roupa suja nas redes sociais, alimentando crise. Me refiro a bate boca com pessoas pequenas, como foi o caso do asqueroso José de Abreu, por exemplo, ou mesmo permitir que um filho participasse de reuniões ministeriais.

No caso do post pornográfico do carnaval no seu perfil do Twitter, entendi a mensagem, mas não a atitude.

Existem leis para coibir “Expressões Artísticas” como insiste em classificar a grande mídia. Que acionasse o judiciário, porém, sem jamais recorrer àquela atitude de re-tuitar as cenas que chocaram a sociedade.

Esse é o Bolsonaro que conheço e que me preocupa.

De resto, está cumprindo todas as promessas de campanha trazendo esperança ao brasileiro minimamente informado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *