Matérias de instituições e do próprio Ministério da Saúde mostram que Paulo Guedes não está mentindo na apresentação da reforma da previdência

Os partidos de oposição adotaram tática de guerrilha na CCJ da Câmara para desqualificar a reforma da previdência de Paulo Guedes, enquanto os partidos de apoio ao governo, inocentes, ficaram calados diante das agressões que se repetiam.

A inocência parlamentar

Paulo Guedes CCJ
Audiência pública sobre a reforma da Previdência. Ministro da Economia do Brasil, Paulo Guedes (Cleia Viana/Câmara dos Deputados)

Foi exatamente isso o que aconteceu.

A oposição chegou cedo ao plenário, tomou todos os lugares possíveis na frente e foram os primeiros a se inscrever para falar. Foi um caos, um verdadeiro ataque com artilharia pesada, pegando a base governista de surpresa.

Poucos seriam capazes, o suficiente, para não sucumbir ao ataque maciço a que foi submetido o Ministro, o que irritou cada vez mais a oposição a medida que o tempo passava, chegando ao ápice na intervenção do deputado Zeca Dirceu.

Houve muita agressão pessoal e moral, totalmente fora do tema.

A palavra de ordem era desestabilizar Paulo Guedes com narrativas, as mais diversas, lançando mão, inclusive, de Fake News.

A narrativa da oposição que após a implementação do sistema de capitalização para aposentadoria levou a um aumento brutal a taxa de suicídios de idosos no Chile, foi contestada por Paulo Guedes ao afirmar que o Chile está em 118o lugar no ranking mundial em número de suicídios e com uma renda per capta de US$ 26 mil, enquanto o Brasil tem apenas US$ 16,1 mil.

A afirmação foi confirmada pelo site de pesquisa Aos Fatos.

Para ilustrar ainda mais a mentira, segundo o site SINDHOSP o Brasil lidera ranking de depressão e suicídio na América Latina.

O próprio Ministério da Saúde reconhece que o índice de suicídios de idosos acima de 70 anos, é de 8,9 mortes por 100 mil nos últimos seis anos. A média nacional é 5,5 por 100 mil. 

O que está acontecendo, então, para que a oposição se utilize de métodos tão baixos para minar a iniciativa do governo Bolsonaro?

Qual motivo de não discutir o mérito da reforma?

Simples: não há o que contestar.

Para mim, esse grupo não está nem um pouco preocupado com o país, mas apenas em derrubar um governo eleito por ampla maioria, tentando jogar a opinião pública contra ele, para ter chance de buscar outra oportunidade de voltar ao poder. Verdadeiros traidores da pátria e de seus eleitores, que vão ser prejudicados, caso a reforma não passe.

Nenhum opositor estava ali para ouvir o ministro, que foi brilhante, apenas ficava articulando o que fazer para derrubar sua exposição.

Enquanto isso, o brasileiro minimamente informado, não sabe mais o que fazer com seus poderes constituídos. Uma sociedade inteira a mercê de um congresso e um judiciário desqualificados para função republicana para a qual foram concebidos e sem nenhuma credibilidade.

Uma casta de deuses que pensa que pode tudo e ainda tem a certeza da impunidade. Será?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *