A guerra de contrainformação

Com o passar do tempo, sem que a esquerda conseguisse tirar Lula da cadeia, uma verdadeira guerra de contrainformação se formou com a criação de narrativas na tentativa de solta-lo , e a medida que o tempo passa, essa guerra vai ficando cada vez mais acirrada.

A super terça

Na última terça na audiência com o ministro Sérgio Moro, o deputado Glauber Braga chegou a ponto de, numa clara falta de decoro parlamentar, acusar o ministro, que atendia um convite da Câmara, de ser corrupto e ladrão.

Posteriormente, depois do PSL divulgar que iria denuncia-lo no conselho de ética ( que não vai dar em nada), reafirmou o que já havia dito, concluindo, que tem como provar.

Quem é Glauber Braga?

Passados dois dias do evento, uma notícia do Jornal da Cidade explica o tamanho do ódio que ele nutre pelo ex-juiz Sérgio Moro. Segundo a fonte citada, Glauber é filho de Saudade Braga, e ocupou diversas secretarias na prefeitura de Nova Friburgo (RJ), no governo de sua mãe. Primeiro entre os anos de 2001 e 2002, e depois de 2005 a 2008.

Sérgio Moro na Reunião sobre o material publicado pelo The Intercept Brasil
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Saudade Braga ainda responde em diversos processos criminais por improbidade administrativa, o que certamente incomoda Glauber, devido o projeto anticrime de Moro, que endurece as penas com os crimes graves e de corrupção.

As consequências ainda não podem ser vistas no horizonte de curto prazo, até porque, na guerra de informação e contra informação utilizada pela esquerda, toda semana tem um fato novo que pode interferir no judiciário e no Congresso Nacional.

Novas informações na dança

Alguns sites de esquerda afirmam, por exemplo, que a ministra Carmem Lúcia, pode rever seu voto com relação a prisão do Lula em face das denúncias do site The Intercept, também um claro processo de contrainformação.

Folha de São Paulo coloca na primeira página carta do delator da Lava Jato comprometendo narrativa de The Inercept brasil

Essa informação foi divulgada na mesma semana em que Léo Pinheiro envia uma carta à Folha de São Paulo, contradizendo o jornal, reafirmando sua delação e reforçando que não foi coagido a falar, o que vai de encontro a narrativa que ele teria sido coagido.

Também, na mesma semana, vem a tona o depoimento de Antônio Palocci na CPI do BNDES, abrindo sua caixa preta, ou caixa de pandora, que é mais adequado, numa denúncia de desvio de R$ 500 bilhões de reais, responsabilizando diretamente o ex-presidente Lula.

A sensação, é que a contrainformação está funcionando contra Lula, pois quanto mais é divulgada na mídia, mais reações e mais provas são apresentadas à sociedade contra Lula e a favor de Sergio Moro, uma vez que a justiça já as tem.

Diante de tudo isso, as incertezas são a única certeza do cenário político/judiciário que temos diante de nós. Nuvens escuras e muita tempestade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *