Desgaste Político: a mídia

O Brasil conviveu muito pouco com regime democrático e foi governado na maior parte do tempo pela esquerda. Segundo Olavo de Carvalho há pelo menos cinquenta anos, a esquerda vem se apropriando das instituições brasileiras, inclusive no período da intervenção militar.

Desde os dois mandatos de FHC, passando pelos mandatos de Lula e Dilma, quando o aparelhamento das instituições tiveram seus melhores momentos. A grande mídia , foi uma delas.

Diante dessa característica de ocupação das instituições e lógico, as principais empresas de comunicação, tiveram nos seus quadros, militantes de esquerda sem enfrentar o contraditório.

Eis que surge a partir de 2013, um elemento novo: a sociedade cansou desse modelo.

Em 2016 a presidente Dilma Rousseff sofre o impeachment, com participação ativa da sociedade e tem início o crescimento da campanha de Bolsonaro à presidência da república. Uma candidatura que se opunha a velha política de corruptos  nos três poderes da república, ao anti-petismo e anti-esquerda. Uma candidatura liberal e conservadora.

Enquanto tudo isso acontecia, os principais meios de comunicação insistiam no projeto #Elenão, tentando inviabilizar a eleição de Bolsonaro.

Diante de uma sociedade cansada da esquerda e do politicamente correto, o resultado da eleição não podia ser outro. Bolsonaro é o Presidente da República Federativa do Brasil.

A mídia

O que aconteceu? Erro estratégico dos principais meios de comunicação?

Se foi, eles continuam no erro, pois mantêm a mesma postura da campanha eleitoral.

A Folha de São Paulo e o Instituto Data Folha, perderam credibilidade. Segundo o site Poder 360, o jornal reduziu 90 mil exemplares em três anos. Não sei se houve queda na publicidade, mas desde que publicou as Fake News contra Bolsonaro, vem sofrendo ataques nas redes sociais, capazes de balançar qualquer empresa. Para quem não se lembra:

  • ex-esposa de Bolsonaro teria sido ameaçada de morte por ele;
  • Distorção da fala de Hamilton Mourão;
  • Re-criação da CPMF;
  • Eduardo Bolsonaro teria usado dinheiro público para treinar tiro em Santa Catarina;
  • Empresários teriam bancado disparos contra o PT nas redes sociais;

A rede Globo estaria em sérias dificuldades por causa da perda de audiência e evasão de anunciantes, a ponto de tirar do ar dois programas: Amor & Sexo de Fernanda Lima no ar desde 2009 e o veterano Vídeo Show, no ar desde 1983, este último, com a importância de publicizar toda a programação da emissora.

Não se sabe o que está realmente acontecendo nessas empresas. A única coisa que se sabe é que a grande mídia está sofrendo pelas escolhas que fez, agora, num ambiente em que existe espaço para  contraditório, ou seja, com mídias nitidamente de direita.  O ataque constante na campanha e ao novo governo empossado, é o que se chama hoje de “lacração”, apontado pela  nova e eficiente mídia: as redes sociais.

O que vai acontecer, de agora em diante, só o tempo dirá.

Deixe um comentário

Você pode usar essas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>